Equinos

Vacinação de Equinos

Escrito por: Lucas - Publicado em.: 14.10.2022

O Brasil é o país com maior rebanho de equinos da América Latina e o terceiro maior rebanho de equinos no mundo. De acordo com o Mapa 2012, possui 5,8 milhões de cavalos. O Programa Nacional de Sanidade Equina(PNSE) é responsável por informar aos veterinários quais serão as vacinas necessárias. Além, de promover atividades de educação sanitária; estudos epidemiológicos; fiscalização e controle de transito de equino; cadastramento, fiscalização e certificação sanitária de estabelecimentos; intervenção imediata quando da suspeita ou ocorrência de doença de notificação obrigatória.Mas, ainda assim é de obrigação do médico veterinário criar um protocolo adequado para um rebanhopara que cumpra o o objetivo de prevenir, controlar ou erradicar doenças dos equídeos. Por isso, a participação dos proprietários de equídeos, por meio da compreensão e cumprimento das normas sanitárias e do correto manejo dos animais, é fundamental para a efetivação dos propósitos do PNSE.

O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, tendo em vista o disposto no Decreto nº 5.741, de 30 de março de 2006, no art. 61, parágrafo único, do Decreto nº 24.548, de 3 de julho de 1934, e o que consta do Processo nº 21000.006555/2013-68, resolve:

As doenças em equinos de caráter de aviso de no máximo vinte quatro horas, são:

– Anemia infecciosa equina

– Encefalomielite equina do leste

– Encefalomielite equina do oeste

– Mormo

– Adenite equina/papeira/garrotilho

– Exantema genital equino

– Gripe equina

– Linfangite ulcerativa (Corinebacterium pseudotuberculosis)

– Piroplasmose equina

– Rinopneumonite equina

– Salmonelose (S. abortusequi)

Os eventos, feiras e competições facilitam a disseminação de diversas enfermidades na população equina, por isso, é essencial seguir a recomendação de vacinação do seu Médico Veterinário.

As principais enfermidades que possuem uma vacina disponível, são:

– Influenza

– Encefalomielite

– Tétano

– Raiva

– Rinopneumonite

– Leptospirose

– Adenite equina

A vacina de raiva é uma vacina inativada que ‘’enganam” o sistema imune com um agente infeccioso morto ou uma partícula dele. O corpo, ao entender que aquilo representa um perigo real, inicia o combate a esse invasor,criando uma memória imunológica contra a raiva. Dessa forma, se seu animal entra novamente em contato com o vírus causador da doença ele já terá anticorpos para combater a doença e se tiver sintomas, são brandos. A primeira dose é dada com 4 meses e precisa de um reforço anual.

A vacina de Influenza precisa de 3 doses. Sendo a primeira com 3 meses de idade e a segunda e terceira dose com intervalo de 30 dias entre elas. Após esse primeiro passo, o reforço pode ser semestral ou anual a critério do Médico veterinário.

As vacinas relacionadas ao tétano e a encefalomielite equina é dada a primeira dose com 3 meses de idade e a segunda e terceira, também com 30 dias. Após esse protocolo estar completo, o reforço será anual.

A vacina de Herpesvírus equino está relacionada ao tipo 1 e 4. A administração é feita a partir dos 3 ou 4 meses e com a segunda dose em 30 dias. O reforço pode ser anual ou semestral a depender da indicação do Médico Veterinário e ainda deverá ser aplicada no quinto, sétimo e nono mês de gestação nas éguas.

A vacina de leptospirose equina possui inúmeras cepas relacionadas ao gênero leptospira. É obrigatória e deve ser administrada nos 4 meses de idade, a primeira dose e após 30 dias, a segunda dose. O reforço deve ser semestral.

A vacina multivalente é capaz de proteger o seu equino da encefalomielite, influenza, rinopneumonite e tétano. A primeira dose da vacina deve ser feita com 3 meses de idade, e a segunda e terceira com um intervalo de 30 dias entre elas. O reforço deve ser semestral e o recomenda-se a vacinação de fêmeas gestantes no quinto, sétimo e nono mês de gestação.

A adenite equina, também conhecida como garrotilho, é também de indicação do médico veterinário e a primeira dose deve ser feita em potros com 2 ou 3 semanas de vida. Após a primeira dose, o reforço pode ser anual ou semestral.

Um programa de vacinação mínimo para todos os equinos inclui a vacina contra o tétano, raiva, encefalomielite equina (dos tipos Leste e Oeste), influenza e raiva todos os verões (janeiro, fevereiro). Em muitas situações indica-se uma vacinação mais freqüente e adoção da vacina contra rinopneumonite (aborto equino a vírus), mas isso somente o veterinário poderá orienta-lo de acordo com o risco epidemiológico. Para Anemia Infecciosa Equina (AIE) e Mormo, não existe vacina nem tratamento e preconiza-se o sacrifício de animais.

Para que a vacinação seja efetiva e tenha seu efeito garantido é importante sempre administrar na via correta, uso de seringas individualizadas para cada animal, respeitar as políticas de conservação do fabricante da vacina, respeitar os intervalos recomendados pelo médico veterinário e comprar vacinas de bons fabricantes. Além disso, é necessário que o animal esteja saudável, possua um bom manejo e esteja livre de parasitas para que a imunização seja efetiva. É importante salientar, que a vacinação não evita que seu animal adquira a doença, mas que a doença cause quadros sintomatológicos severos.

Podem existir outros protocolos e variações do apresentando nesse blog, de acordo com os critérios explicados anteriormente. É de extrema importância manter sempre seu equino vacinado de acordo com o protocolo de vacinação indicado, exclusivamente, por um médico veterinário. Dessa forma, além de manter seu animal protegido de diversas doenças estará evitando gastos desnecessários e irá manter o maior rebanho cavalos da américa latina seguro.

Referências

FERRAZ, Luis Eduardo. A importância da vacinação preventiva em equinos. 2014. Disponível em http://www.vencofarma.com.br/common/uploads/artigos/113a98ef4af1768ea8df1e80e298fdf15871.pdf.

MINISTÉRIO DO ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Politica Nacional de Sanidade Equina( PNSE). Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sanidade-animal-e-vegetal/saude-animal/programas-de-saude-animal/sanidade-de-equideos.

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL – SENAR (Brasília). Equideocultura: manejo e alimentação. 2018. Disponível em: https://www.cnabrasil.org.br/assets/arquivos/185-EQUIDEOS.pdf.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *